Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 3 de agosto de 2008

https://i0.wp.com/img525.imageshack.us/img525/4308/scoobydoo5lb3.jpgOK, eu sei que a coluna pertence ao Maverick que a estreou alguns dias atrás falando dos Simpsons. Mas achei a idéia sensacional e gostaria de colaborar esporadicamente com algumas curiosidades, sempre relacionado a origem de alguma coisa. Dando uma fuçada em algumas revistas minhas esse fim de semana encontrei uma que conta a origem do nome Scooby-Doo. Segue o texto:

“Nos seus quase 50 anos de existência, a Hanna-Barbera produziu vários desenhos animados em que cachorros eram protagonistas, como Dom Pixote, Bibo Pai e Bóbi Filho e o mais famoso deles, Scooby-Doo. E uma curiosidade cerca o nome do personagem: quando o cartoon estava sendo criado, os produtores estavam entre dois nomes: Who’s Scared? (Quem está com Medo?) ou Mysteries Five (Quinteto Mistério), justamente por as histórias envolverem fantasmas, monstros e outros bichos. A príncipio, Scooby-Doo deveria ser um personagem secundário, um cão meio hipie, chamado Too Much (Demais). Então alguém ouviu Frank Sinatra intepretando Strangers in the Night, na qual, num determinado momento, ele canta “dooby dooby doo doo doo doo”. A sonoridade do fraseado acabou inspirando a mudança de nome para Scooby-Dooo. Assim, “a Voz” batizou, sem querer, um dos personagens mais queridos dos cartoons. O desenho foi lançado como Scooby-Doo Where Are You? (no Brasil, Scooby-Doo, Cadê Você?).”

Fonte: Coleção 100 Respostas da Mundo Estranho – Vol. 07: Hanna-Barbera, pág. 37.

Bacana hein? Hoje eu só dei uma copiada num texto que encontrei aqui em casa, mas eu espero colaborar com pesquisas e textos próprios para um próximo post! \o/

Anúncios

Read Full Post »

HQ: Telefone…

Domingão merece um Garfield! \o/

27/06/1997

https://i1.wp.com/img211.imageshack.us/img211/3097/homemau7.gif

www.garfield.com

Read Full Post »

Mais uma semana e mais games no mercado. Mas por enquanto nada dos grandes lançamentos do semestre. Temos Braid para a live arcade que aparenta ser extremamente promissor, com gráficos inovadores e criativos, um sistema de manipulação de tempo, o que é sempre instigante e alguns elementos plataforma e old-school 2D que chama a atenção. Em outro ponto, é curioso ver como quase toda a semana saí um ou mais games de esporte para Wii, apelando a sua jogabilidade causal.

Beijing 2008 - The Official Video Game of the Olympic Games
Beijing 2008 – The Official Video Game of the Olympic Games (PC)
Lançamento nos EUA: Agosto 5, 2008
Undiscovered Realms
Fate: Undiscovered Realms (PC)
Lançamento nos EUA: Agosto 8, 2008

Braid

Braid (X360 Live Arcade)
Lançamento nos EUA: Agosto 6, 2008

Summer Athletics

Summer Athletics (WII)
Lançamento nos EUA: Agosto 4, 2008

Little League World Series 2008

Little League World Series 2008 (WII, DS)
Lançamento nos EUA: Agosto 5, 2008

Crash Time

Crash Time (X360)
Lançamento nos EUA: Agosto 5, 2008

Off Road

Ford Racing: Off Road (PC)
Lançamento nos EUA: Agosto 5, 2008

B-Boy

B-Boy (PS2)
Lançamento nos EUA: Agosto 5, 2008

Grave Danger

Monster Madness: Grave Danger (PS3)
Lançamento nos EUA: Agosto 5, 2008

GRID

GRID (DS)
Lançamento nos EUA: Agosto 5, 2008

Baseball Mogul 2009
Baseball Mogul 2009 (PC)
Lançamento nos EUA: Agosto 5, 2008

King of Clubs

King of Clubs (WII)
Lançamento nos EUA: Agosto 4, 2008

Puzzler Collection

Puzzler Collection (DS)
Lançamento nos EUA: Agosto 5, 2008

Wild West Guns

Wild West Guns (WII)
Lançamento nos EUA: Agosto 4, 2008

Ys I + II

Ys I + II (WII)
Lançamento nos EUA: Agosto 4, 2008

Read Full Post »

https://i2.wp.com/www.paninicomics.com.br/img/collanaNews/2015.jpg

Sinopse Panini: Escapar da Zona Fantasma é um grande desafio para Superman, mas não é o único problema que ele enfrentará! E a Kriatura 17 retorna! Supergirl: a Garota de Aço encara uma adversária à altura! Superman Confidencial: a guerra entre Apokolips e Nova Gênese chega à Terra!

Eu li:
Superman Confidential – Antivida: Continuando uma velha história de como Superman conheceu Nova Genesis e Darkseid e tal. Uma história sem brilho, sem polêmica e com muita enrolação. A história se resume com Superman abartando uma briga em Nova Genesis e o exército de Darkseid no centro de Metrópolis. No fim todo mundo se retira com o rabo entre as pernas e tudo volta a ficar bem, nem mesmo a aparição de Darkseid empolga. Porém há um detalhe que me chamou a atenção. Em Contagem Regressiva desse mês antes de morrer, Magtron, um dos novos deuses, susurra “Infinito” para Jimmy Olsen, e aqui nessa história antiga um herói surgido do coletivo de Nova Geneses surge e, coincidentemente, se chama Homem-Inifinito… estranho.

Superman – A Queda de Camelot, Parte 4: Esse sim é uma história bem interessante com personagens novos, linhas de enredo criativas e com uma narrativa que prende o leitor. Superman continua caçando Arion. A pesperctiva em alguns momentos é de estar vendo a aventura através do telejornal, o que é explicado por três cameras sobrevoando o herói, cortesia de Lana Lang, a nova diretora da Lexcorp para as emissoras de TV. A Kriatura 17 também faz uma breve aparição, um tanto quanto filosófica, dando aquele tem mais sério a HQ. Somando tudo a belos desenhos temos uma história excepcional. A queda de Camelot foi uma saga que na minha opinião se esticou demais, mas ainda sim é agradável de se ler. Mês que vem o fim, finalmente!

Supergirl – Pequena Miss Perfeição: Bem, agora sim fez sentido o fato de ter 2 Supergirls na história passada. Entretanto esta história está interligada com Contagem Regressiva, com a criação do Multiverso e dos Monitores. Se o leitor está por fora de tudo isso, não vai entender nada do que acontece por aqui. Enfim, toda essa salada mista na qual Kara, a Supergirl, passou nestes últimos meses de HQ eram um teste criado pelos Monitores, para que não restasse dúvida alguma se ela deveria ou não exisitir neste universo, já que uma Supergirl morreu em Crise nas Infinitas Terra lá no passado. No fim os monitores aceitam a aprovação de Kara e irão deixar ela em paz no Universo atual da DC.

Superman – O último filho, Parte 4: Uau, uma história dificil de engolir, apesar de bem interessante e diferente. Superman foi para na Zona Fantasma, encontra Mon-El que irá auxiliar o herói a fugir. Mon-El como todo nerd sabe, é um herói que foi envenenado acidentalmente por chumbo quando Clark era adolescente e foi preso na Zona para quando uma cura fosse inventada. Porém sabe-se que ele só irá sair de lá no século 31, e fará parte da Legião dos Super-Heróis. Os roteiristas inventaram de colocar uma prisão inteira na Zona Fantasma, um prédio onde ao entrar, você não se torna um fantasma. É de lá que sairam as naves para a realidade. Um negócio bem difícil mesmo de explicar e engolir. Foi lá que Christopher foi concebido e viveu por muitos anos. De qualquer forma com a ajuda de Mon-El, Superman escapa de lá e vai atrás de Lex Luthor que se juntou a Bizarro, Parasita e Metallo para colocar um fim no reinado de Zod em Metrópolis. A batalha continua na próxima edição!

Read Full Post »

Bem, se você não ouviu nosso podcast esta semana, aqui estou, como havia dito, tirando o atraso com as crônicas:

https://i1.wp.com/www.objetiva.com.br/objetiva/cs/files/images/capas_livros/8573024437_grande.jpg

Comprar pela Editora Objetiva? Link.

Eva

Na velha questão sobre a origem da humanidade, eu defendo o meio-termo. Um empate entre Darwin e Deus. Aceito a tese darwiniana de que o Homem descende do macaco, mas acho que Deus criou a mulher. E nós somos a consequencia daquele momento trágico em que o proto-homem, deslocando-se de galho em galho pela floresta primeva, chegou à planície do Éden e viu a mulher pela primeira vez.

Imagine a cena. O homem-macaco de boca aberta, escondido pela folhagem, olhando aquela maravilha: uma mulher recém-feita. Como Vênus recém-pintada por Boticelli, com a tinta fresca. Eva espreguiçando-se à beira do Tigre. Ou era o Eufrates? Enfim, Eva no seu jardim, ainda úmido da criação. Eva esfregando os olhos. Eva examinando o próprio corpo. Eva retorcendo-se para olhar-se atrás e alisando as próprias ancas, satisfeita. Eva olhando-se no rio, ajeitando os longos cabelos, depois sorrindo para a própria imagem. Seus dentes perfeitos faiscando ao sol do Paraíso. E o quase-homem babando no seu galho. E, com muito esforço, formulando um pensamento no seu cérebro primitivo. “Fêmea é isso, não aquela macaca que eu tenho em casa.”

Há controvérsias a respeito, mas os teólogos acreditam que quando Eva foi criada por Deus tinha entre 19 e 23 anos. E ela reinou sozinha no Paraíso por duas luas. E, instruída por Deus, deu nome às coisas e aos bichos. E chamou o rio de rio e a grama de grama, e a árvore de árvore, e aquele estranho ser que desceu da árvore e ficou olhando para ela como um cachorro, de Homem. E quando o Homem sugeriu que coabotassem no Paraíso e começassem outra espécie, Eva riu, concordou só para ter o que fazer, mas disse que ele ainda precisaria evoluir muito para chegar aos pés dela. E desde então temos tentado. Ninguém pode dizer que não temos tentado.

Read Full Post »