Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 10 de agosto de 2008

https://i1.wp.com/img239.imageshack.us/img239/7900/angel06hqjb1.jpg

Lembrando que a disponibilização desta HQ no blog acontecerá enquanto nenhuma editora tiver interesse em publicá-la por aqui. Se alguma começar, nós retiraremos seu contéudo. Eu, particularmente, adoraria ver essa HQ aqui no Brasil. Compraria religiosamente.

Para saber mais sobre essa HQ, leia este post.

Cliquem na capa para baixar a edição referida!

https://i2.wp.com/img300.imageshack.us/img300/6395/angel01dv1.jpg        https://i0.wp.com/img106.imageshack.us/img106/4134/angel02gz5.jpg

https://i0.wp.com/img501.imageshack.us/img501/4946/angel03ab0.jpg     https://i1.wp.com/img300.imageshack.us/img300/1183/angel04ox8.jpg

https://i2.wp.com/img106.imageshack.us/img106/3627/angel05ku0.jpg

https://i1.wp.com/img501.imageshack.us/img501/7872/angel06kq4.jpg         https://i0.wp.com/img106.imageshack.us/img106/1262/angel07cg4.jpg

Caso haja algum problema com os arquivos por favor me notifiquem! Alias todos estão hospedados nos servidores da NGM! Finalmente entendi como hospedar lá! XD

Ler HQs no computador é cansativo e trabalhoso? Leiam isso aqui.

Baixou os arquivos e eles estão num formato chamado .CBR e você não sabe o que fazer? Precisa obrigatoriamente de um programa chamado CDisplay. Baixe-o aqui.

Agradecimentos ao grupo Lemuria!

Anúncios

Read Full Post »

Boa noite pessoal. Eu disse que haveria uma surpresa este final de semana e aqui está ela: Iremos disponibilizar aqui por download as HQs americanas de Angel – Após a Queda traduzidas em português! Tudo isso graças ao Nelson e ao Grupo Lemuria que estão traduzindo tais HQs e disponibilizando-as no Orkut. Pedi e consegui a autorização para disponibiliza-las por aqui também, já que no Orkut dá um certo trabalho ficar caçando-as por tantas comunidades e por tópicos que vão sumindo.

Para quem não sabe, essa HQ é a continuação direta e oficial do seriado americano Angel, que terminou em sua quinta temporada. Esta então é chamada de sexta temporada. Ela está nas mãos de Joss Whedon, criador da série. Entretanto a HQ é lançada mensalmente, ou seja, é diferente dos Mangás que são semanal. Por isso seu lançamento é mais lento que os mangás. Por enquanto, o grupo Lemuria traduziu sete edições, mais virão, porém eles não tem uma data certa de lançamento. Geralmente deixam acumular algumas edições e lançam todas junto. A 6 e a 7 são as mais recentes.

Você ainda não terminou de ver a série Angel porque a Fox não lançou no Brasil? Realmente é um problema. Eu não recomendo ler então, pois o quinto ano define os parâmetros da HQ. Agora se você sabe o que acontece no último ano de Angel, vale a pena ler.

Se você não se importa com Spoilers, segue resumidamente o quinto ano de Angel e o que acontece de importante para entender a HQ com o sexto ano:

Angel e cia acabam se tornando diretores da filial de Wolfram & Hart, empresa demôniaca que existe desde o início dos tempos. Depois de um ano tentando entender como funciona a empresa Angel consegue um plano para derrubar pelos menos a sede de Los Angeles. Claro que nesse percuso o grupo tem algumas baixas. Fred morre antes do final da temporada e seu corpo é possuído por Ilyria, um ex-demônio antigo. Ilyria se junta ao grupo porque seu exercíto não existe mais e ela não tem porque dominar o mundo nestas condições. Wesley também morre no último episódio no combate com um feiticeiro-demônio, depois de uma profunda depressão pela morte de Fred. Spike está em Los Angeles durante o quinto ano de Angel, depois de se sacrificar em Sunnydale no último ano de Buffy através de um medalhão dado por Angel que obtivera na Wolfram & Hart. Tal medalhão traz Spike de volta a vida. Enfim, nos últimos episódios, Angel encontra todos os grandes chefões da empresa de Los Angeles, o grupo se divide e mata todos! Nos últimos minutos, quando eles se reencontram, isto acontece:

últimos minutos do último episódio de Angel:

Fiquem de olho! Ainda hoje as 7 edições traduzidas de Angel, Após a Queda!
Mais uma vez, agradecimentos ao grupo Lemuria que permitiu a disponibilização das HQs aqui e pelo excelente trabalho de tradução das mesmas!

https://i2.wp.com/img385.imageshack.us/img385/7827/bannertn3.jpg

Read Full Post »

https://i2.wp.com/img527.imageshack.us/img527/2378/braid01qk1.jpg

A idéia inicial seria fazer uma mini-análise/review do game, mas vários sites internacionais e nacionais conseguiram ser mais velozes do que eu. Por isso, tive a idéia de fazer um top 10 das razões pelas quais, Braid merece não passar em branco:

1 – 2D Plataforma: Em tempos atuais é incrivelmente difícil alguém apostar nesse gênero em desuso. Os games em plataforma morreram já faz anos. Seu auge foi mesmo durante a década de 90. Vez ou outra, alguma produtora nos faz relembrar desse tipo de jogo com um ou outro game. Claro que nem todas conseguem resgatar a alma do gênero. Bradi respeita muito bem a jogabilidade e é um plataforma de respeito. Requerendo do jogador pulos certeiros, escadas, grades, plataformas em movimento, tudo que a receita pede. Desligue um pouco esse Shooter 3D e experimente voltar as origens dos videogames.

2 – Homenagens: O game homenageia indiretamente, mas não tão discretamente, games dos anos de ouros como Super Mario Bros e Donkey Kong entre outros. Ao terminar a primeira fase do game, o jogador dá de cara com um castelo, um dinossaurinho sai dele e solta a clássica frase “I’m Sorry, But the Princess is in another Castle”. Preciso dizer de onde vem isso?

3 – Designe Único: Apesar de resgatar estas nostalgias da cabeça de qualquer gamer, o jogo prima por uma beleza gráfica impecável. Não é nada parecido com a atitude da Capcom em resgatar Mega Man, fazendo em forma de Pixel da era NES. Os gráficos de Braid brilha na tela da sua televisão. São utilizados cenários quase como que se fossem pintados a óleo. Mais ainda é que apesar disso, eles se movimentos, como se ouvesse vento fazendo a tinta se mexer. É muito difícil descrever com palavras a sensação que o visual de Braid passa.

4 – Trilha Sonora: A melodia das fases do game combinam perfeitamente com seu clima e visual. Nada de jingles grudentos. É uma coisa mais lirica, mais poética, que casa perfeitamente com o jogo.

5 – Manipulação do Tempo: Como se não bastasse os elementos nostalgicos, Braid ainda caminha alguns passos para a criatividade e inovação. É possível Manipular o tempo e vários enigmas do game torna imprescindível entender esse sistema. Em cada um dos 6 mundos do game essa manipulação irá interagir de maneira diferente a cada mistério.

 https://i2.wp.com/img254.imageshack.us/img254/8408/braidto2.jpg

6 – Filosofia e Metáforas: Antes de entrar em cada mundo o jogador passa por uma salinha com alguns livros. Leia os textos. E de impressionar alguns parágrafos e a imersão que tal texto causa ao jogador. Tudo no clima de game arte que se une a todos os outros elementos mencionados.

7 – Não é preciso pagar U$ 59: Braid não é um game usual de caixinha e manual. Ele está disponível via Download no Xbox 360, pelo menos por enquanto, já que uma versão de PC está sendo cogitada. No fim, o preço sai por U$ 15. Apenas U$ 5 acima da média dos games do sitema, mesmo assim ainda vale a pena.

8 – Puzzles: Além dos elementos de plataforma o game traz algumas peças de Quebra Cabeça durante as fases. Elas não estão escondidas, mas o acesso delas não é nada fácil, pois requer racicínio para manipular o tempo de maneira que Tim, o protagonista consiga a peça. Os puzzles, por assim dizer, vão se tornando cada vez mais difícil conforme os mundos avançam. É de arrebentar o controle na parede de tão complexo são alguns.

9 – “Portunhol”: Tem quem não goste do Portunhol que alguns games da Live Arcade traz, mas eu acho admirável o fato de, pelo menos, haver essa possibilidade. Se você vacila um pouco no inglês a tradução vale a pena. Pena que o português seja uma língua pouco utilizada e bem difícil de ser aprendida, aí o resulta é um Portunhol, entretanto, totalmente compreensível para nosso entendimento.

10 – Simplicidade de Botões: Um jogo de plataforma que resgata vários elementos antigos não estaria completo se houvesse simplicidade na jogabilidade. É tudo bem simples, com um botão Tim pula, um outro botão acina portas e alavancas e um outro manipula o fluxo de tempo. Simples assim e não requer complexidade alguma.

Talvez alguns não concordem de todos os pontos abordados, entretanto, ainda assim Braid é um excelente game, inteligente, bonito e uma bela refrescada num mercado onde temos tanta coisa repetida ou mal feita.

https://i2.wp.com/img361.imageshack.us/img361/636/braid2gp2.jpg

Read Full Post »

HQ: Diversão

Um Garfield para este domingo nublado:

29/08/1996

null

www.garfield.com

Read Full Post »