Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Coluna: Retro Games’ Category

Ufa, finalmente uma alma caridosa foi até a van das tartarugas, conseguiu filmar e jogou na rede algum material em vídeo sobre o remake de TMNT Turtles in Time! Então, sem perder tempo, assista já, senão vai ficar sem pizza, sacou?

Anúncios

Read Full Post »

Cowabunga, Turtles in Time de novo!

Você sabia que as Tatarugas Ninjas comemoraram ontem 25 anos de sua criação? Aguardem surpresas relacionadas a isso aqui no Portallos…

Enquanto isso, uma incrível van das tartarugas começou sua turnê americana, e foi ela que nos trouxe a revelação fantástica que o clássico Turtles in Time irá ganhar um novo relançamento, mas dessa vez em 3D/HD!

Está sendo produzido para a Live, mas a intenção é levar o jogo também para o WiiWare. Um ponto positivo é que as músicas continuam as mesmas, o que é ótimo, eu adoro a trilha sonora original. Na van, só estão jogáveis as fases “Alleycat Blues” e “Skull and Crossbones”, e a única diferença notada é que os chefes de “Skull and Crossbones” são Tokka e Rahzar, sendo que no SNES eram Bebop e Rocksteady. Em “Alleycat Blues” o chefe ainda é Metalhead.

Só lembrando que Tokka and Rahzar eram os chefões de Skull and Crossbones na versão arcade do jogo. Eles foram movidos para o Technódromo na versão SNES, e substituídos por Bebop e Rocksteady. Isso significa que o remake é baseado na versão arcade, e sendo assim provavelmente não teremos as fases adicionais do SNES como o próprio Technódromo ou a fase do Rei Rato, por exemplo.

Read Full Post »

Game Boy, 20 anos de muito sucesso!

Essa semana estamos comemorando os 20 anos do Game Boy!

Hoje vamos voltar 20 anos no tempo, quando a Nintendo lançou o Game Boy, o primeiro console de videogame portátil que caiu nas graças do público. É claro que tivemos antecessores de diversas fabricantes que tentaram obter sucesso nesse mercado, mas foi o pequeno notável da Big N, definitivamente, que consolidou os videogames portáteis como uma opção viável para os gamers.

O Game Boy nasceu no Japão, conquistando de cara uma legião de fãs japoneses, que pagaram $12,500 ienes no seu lançamento. Um pequeno preço a se pagar pelo prazer de ter uma versão diminuta do poderoso NES ali, bem no bolso. Os jogos disponíveis no lançamento eram Super Mario Land, Baseball, Alleyway, e claro, não podia faltar um jogo de mahjong, o Yakuman. Logo, chegariam nas prateleiras centenas de novos títulos que traziam diversão em qualquer lugar, a qualquer hora, transformando a fila de espera do dentista algo mais suportável.

Nos Estados Unidos, o fenômeno chegou logo no fim de 1989, e finalmente era a vez dos gamers americanos curtirem o portátil, vendido por módicos $89,99 dólares. Mas o melhor não era o preço, e sim o brinde sensacionalque vinha na caixinha: Tetris! Nem é preciso dizer que isso resultou em vendas fantásticas, não é? Mas vou dizer: o Game Boy vendeu só naquele Natal mais de um milhão de unidades!

Oficialmente, a Nintendo divulgou que em toda a sua história o Game Boy clássico vendeu 118.690 milhões de consoles, tornando-o um dos maiores fenômenos em vendas de videogames. E vamos listar 6 motivos que ajudaram nesse incrível marca.

1. TETRIS

Sabemos que cada novo console precisa ter um título matador em seu lançamento, e no caso do Game Boy, esse título é Tetris.
Tetris é um puzzle criado ppor Alexey Pajitnov, que parece que nasceu realmente para o Gameboy, é um jogo que combina perfeitamente com a proposta do portátil. Fácil de se jogar, e que exigia muito pouco do limitado hardware do Game Boy, que tinha uma tela de LCD de baixa resposta, na qual jogos rápidos, especialmente os de ação deixavam “fantasmas”. Claro que a maioria nem percebia esse detalhe, mas ele existia. A Nintendo foi inteligente (e corajosa) ao colocar Tetris na caixa do videogame ao invés do óbvio Super Mario Land. Tetris encantou muitos adultos, ajudando a trazer todo um novo público aos videogames, fato que a Nintendo continua a explorar ainda nos dias de hoje, apesar de alguns acreditarem que isso é novidade…

2. BATERIA

Com 4 pilhas AA, você podia jogar por até 30 horas, graças a tela monocromática sem iluminação interna e ao simples processador 8-bit do portátil, além de poder usar uma bateria recarregável para maior conforto. Os portáteis concorrentes, ao contrário, eram obcecados em telas coloridas iluminadas internamente que os transformavam em verdadeiros monstros devoradores de pilha. O NEC TurboExpress, Sega Game Gear, Atari Linx, entre outros, só podiam oferecer no máximo 2 a 5 horas de jogo, e acreditem, usavam até 6 pilhas AA! Então, a duração da bateria foi o principal foco da Nintendo durante o desenvolvimento do Game Boy, o que fazia muito sentido, já que a idéia de portabilidade funciona melhor quando você usa o produto por um longo período de tempo, a autonomia é algo vital em um equipamento portátil. Até que as cores chegassem ao Game Boy, passaram-se 9 anos, e principalmente, a Nintendo esperou pela chegada de uma tecnologia que permitisse que seu portátil tivesse finalmente não só uma bela tela colorida, mas contudo, que permitisse também uma longevidade de pilhas similar ao primeiro modelo. Podemos afirmar que o fato dos portáteis rivais do Game Boy ostentarem vistosas telas de LCD coloridas e um maior poder de processamento foi o motivo de seus fracassos, o público não pensou duas vezes em economizar seu suado dinheirinho optando pelo econômico Game Boy.

3. A MARCA Nintendo

Outro fato que ajudou na popularização do console foi o fato de ser um legítimo console Nintendo, empresa que na época dominava 80% do mercado de videogames. Os consumidores confiavam plenamente na gigante japonesa, cientes de que somente ela dava a eles os melhores jogos a cada ano, desfrutando de títulos de peso como Super Mario Bros., Zelda, Metroid, Kid Icarus, entre outros títulos que dominavam as mentes dos jogadores. Sem contar que o suportes de empresas licenciadas também era muito bom, trazendo sucessos do NES como Teenage Mutant Ninja Turtles, Mega Man, Castlevania, Final Fantasy…

4. PREÇO

Custando $89,99 em seu lançamento americano, o Game Boy era o portátil mais acessível, já que o TurboExpress custava $249,99, o Game Gear $149,99, e o Lynx $189,95. Como o custo de produção do Game Boy era barato, a Nintendo se aproveitou disso para fazer um preço altamente competitivo, e isso,  somado ao argumento de baixo consumo de pilhas, fez do Game Boy o console de melhor custo-benefício, ainda que fosse inferior tecnologicamente. E ainda havia a vantagem de que com o dinheiro economizado, dava para se comprar outros jogos tranquilamente e fazer outras coisas.

5. Pokémon

Tetris serviu para cativar um gigantesco público, mas Pokémon foi o responsável por coroar o Game Boy com o  status de lenda, de um produto capaz de fazer milhões suspirarem ao jogá-lo. O primeiro jogo Pokémon vendeu mais de 20 milhões de unidades nos Estados Unidos e Japão, provando em plenos anos 90 que o defasado Game Boy ainda tinha muita lenha para queimar e era uma força a ser respeitada entre os videogames. Mais do que isso, Pokémon foi fundamental no triunfo do Game Boy perante os novos concorrentes modernos, que entraram no mercado para tentar uma fatia de seu grande mercado, como o Neo Geo Pocket, o Bandai Wonderswan, e até o tímido Tiger Game.com. Todos  foram escurraçados do mercado pelo poderoso portátil de tela monocromática. Ter Pokémon significava ter a mais poderosa arma para aniquilar toda e qualquer concorrência.

6. FLEXIBILIDADE

Ainda que timidamente, a marca Game Boy não permaneceu parada no tempo, e conforme novas tecnologias surgiram, o portátil evoluiu, com um melhor aproveitamento de pilhas, telas melhores, e mudanças em seu design que justificavam a alcunha de videogame portátil. Game Boy, Game Boy Pocket, Game Boy Light, Game Boy Color, Game Boy Advance, Game Boy Advance SP, Game Boy Advance micro. Esses 7 modelos trouxeram muitas melhorias mesmo com poucas mudanças em seu hardware. E podemos listar os adaptadores para uso nos consoles de mesa, como o Super Game Boy, Super Game Boy 2 e o Game Boy Player.

No cenário atual, a Nintendo continua a dominar amplamente o mercado de videogames portáteis com o igualmente popular Nintendo DS e sua recente atualização Nintendo DSi, que embora não carreguem o nome Game Boy, honram com méritos o legado da marca. E ainda nos dias de hoje, o Game Boy micro ainda é vendido, mantendo assim ativo o  lendário nome e sua chama, que se recusa a apagar.

Parabéns Game Boy! 21 de Abril, Dia do GameBoy!!!

Read Full Post »

Ocarina of Time é um dos melhores jogos de todos os tempos. Os fãs adoram vasculhar o jogo em busca de segredos, ou simplesmente dando um tapa no visual com melhores gráficos ou texturas por meio ROMS modificadas. E com essas intervenções no jogo, muita coisa interessante é descoberta. Separei para hoje um vídeo que explora esses segredos, hacks e glitches, com direito até a uma participação especial da Arwing de Star Fox, em um combate que pode ser considerado um preview do que veríamos anos mais tarde na série Super Smash Brawl. Logo depois você confere um vídeo muito especial, recheado de fotos da época em que o jogo ainda era um beta. Vendo esse vídeo, me bateu uma curiosidade muito forte de saber em que momento foi decidida a entrada de Link em sua forma infantil, pois vemos na maioria das fotos um Link bastante parecido com o herói de A Link to the Past em diversos cenários, nos dando a impressão de que a forma infantil surgiu bem mais tarde, quando o projeto já estava bem adiantado. Será que em seu início a história principal era diferente?

Read Full Post »

A Gametrailers relembrou essa semana um excelente game dos tempos de ouro dos videogames: Rock n’ Roll Racing.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Aí está um game que valeria a pena pensar num remake na nova geração. Multiplayer online, gráficos renovados, novas músicas de Rock, nos moldes de Rock Band e Guitar Hero em repertório. Seria curioso, no mínimo. Pena que a Interplay não consegue se reeguer no mercado há muitos anos.

Read Full Post »

Achei muito legal o vídeo da Gametrailers sobre Kirby 64 que resolvi postar por aqui mesmo. Kirby sempre foi um jogo complexo em relação ao seu público. Há um certo preconceito contra o mascote e seus games sempre tem altos de baixos. Kirby 64 foi um dos Kirbys que não tive a oportunidade de jogar, uma pena, porque parece bacana. O jogo está disponível para Virtual Console.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Falando de Kirby, uma pena que o adventure que ia sair no Gamecube e depois mudou para o Wii não tenha mais aparecido na mídia, o que presume-se que tenha sido engavetado.

Read Full Post »

Sensacional, uma nova revista que vai abordar jogos velhos! E mais do que velhos, eternos invencíveis! Uma idéia de ouro sobre a época de ouro dos videogames.

Essa iniciativa tem meu apoio incondicional, e espero que as novas gerações de jogadores possam também se interessar pela Old!Gamer e descobrir que houve uma época em que os jogos eram realmente criativos e desafiantes!

Para saber mais do projeto, visite o blog do meu camarada Pablo Myazawa!

Read Full Post »

Older Posts »